Sabor das receitas
Search
Close this search box.

O segredo da sopas, cremes e caldos incríveis

o segredo da sopas

O segredo da sopas, caldos e cremes no inverno se destacam como grandes sucessos. Há quem defenda com firmeza que essas receitas são, sim, uma refeição completa. Outros discordam, argumentando que um caldo, por exemplo, não oferece sustância suficiente.

Sem entrar nessa discussão, se analisarmos os ingredientes de uma sopa bem preparada, veremos que é possível obter nutrientes, vitaminas, proteínas e fibras em quantidade suficiente para nos satisfazer.

Apesar de muitos acharem que cremes, sopas e caldos são a mesma coisa, existem diferenças importantes entre eles. Embora possam parecer semelhantes, com processos de cozimento e ingredientes parecidos, na gastronomia, cada um tem suas particularidades técnicas.

Para saber mais sobre as técnicas de preparação desses pratos, continue lendo este artigo e descubra informações valiosas. Esse conteúdo pode esclarecer suas dúvidas e ajudar na hora de escolher entre essas opções no cardápio de um restaurante.

O que são os caldos?

De forma mais técnica, você vai perceber que os caldos são uma categoria distinta na gastronomia, com características bem específicas. Por exemplo, a sua receita de caldo de feijão, aquele bem espesso feito com feijão batido, na verdade é um creme de feijão. Mas não se preocupe, pois vamos esclarecer tudo neste post.

Os caldos são conhecidos por seus sabores e aromas ricos, que provêm dos ingredientes utilizados em sua preparação. Eles são feitos a partir de uma base líquida, geralmente água, e podem incluir legumes, carnes, especiarias, temperos e até ossos. Esses ingredientes cozinham juntos, resultando em uma mistura que pode servir como base para sopas, cremes, risotos, molhos e ensopados, conferindo profundidade e complexidade a essas preparações.

Os caldos mais comuns são os de carne, peixe ou vegetais. Além disso, o caldo de ossos, quando preparado com alguns legumes e especiarias, é muito apreciado em certas dietas devido ao seu alto valor nutritivo. É importante destacar que os caldos são tipicamente fervidos por um longo período; quanto mais tempo eles cozinham, mais concentrados e intensos ficam os seus sabores.

Por exemplo, um caldo de legumes pode ser preparado cozinhando cenouras, cebolas, aipo, alho e ervas aromáticas em água por algumas horas. Esse caldo pode ser armazenado na geladeira por até três dias ou congelado para uso em até três meses. Isso é extremamente prático, pois permite que você sempre tenha um bom caldo à mão, evitando o uso daqueles tabletes ultraprocessados na preparação dos seus alimentos.

Para fazer um caldo de carne, você pode usar ossos de boi ou frango, adicionando legumes como cenouras, cebolas e alho-poró, além de ervas como tomilho e louro. Deixe tudo ferver lentamente por várias horas, e você terá uma base rica e saborosa para diversas receitas.

Portanto, compreender a diferença entre um caldo e um creme, assim como a importância do tempo de cozimento e dos ingredientes utilizados, é fundamental para elevar o nível das suas preparações culinárias. Com essas dicas, você poderá criar caldos caseiros que enriquecem seus pratos de forma natural e saudável.

E as sopas?

Essa categoria já deve ser familiar para você, afinal, consumimos mais sopas do que caldos e cremes…

As sopas são consumidas durante todo o ano e muitas vezes são preparadas com legumes da estação. Existem diversas variações, feitas conforme o gosto das pessoas, agradando a muitos paladares.

Entre as sopas mais comuns, temos a clássica sopa de macarrão com legumes, que pode ser enriquecida com o feijão de sua preferência. Outra favorita em todo o país é a sopa de mandioca, conhecida por ser uma das mais populares e saborosas.

Geralmente feitas a partir do caldo, a principal diferença das sopas é que elas contêm pedaços de legumes e/ou carnes. Além disso, é possível adicionar carboidratos como macarrão.

Das três opções, a sopa é a mais nutritiva, pois combina os nutrientes do caldo, adquiridos durante a cocção dos alimentos, com os vegetais e proteínas em pedaços. Estes são fontes de minerais, vitaminas e aminoácidos essenciais ao organismo. A sopa também é a mais satisfatória, devido ao maior consumo de fibras, carboidratos e proteínas.

Vale destacar que a adição de feijão e macarrão (especialmente o integral) às sopas proporciona um conjunto adicional de vitaminas, minerais e fibras, complementando os nutrientes dos vegetais.

Os cremes

Essa é a categoria mais densa e cremosa de todas. Os cremes são, em geral, preparados com vegetais ou grãos de sabores mais intensos.

Um exemplo clássico é o creme de feijão. Quando bem temperado, com bastante alho e cebola, e depois processado, o feijão tradicional se transforma em um delicioso creme. Esse processo é aplicável a muitos outros legumes, como cenoura, batata, mandioquinha, mandioca, abóbora, milho e outros.

Esses vegetais são conhecidos por conferirem uma cremosidade excepcional aos cremes e, por terem um sabor versátil, também combinam bem com toques finais deliciosos, como carnes ou cogumelos.

Quem nunca provou um creme de milho com frango cozido? Essa é uma daquelas comidas afetivas que nos lembram a casa dos avós, não é mesmo?

Para preparar o creme, podemos adicionar alguns laticínios à receita, como queijos, creme de leite ou leite. Esses ingredientes ajudam a alcançar uma cremosidade inigualável e combinam perfeitamente com os vegetais.

Uma presença marcante nos caldos e sopas também é o bacon. Essa proteína combina muito bem com caldos de feijão, abóbora, mandioca ou batata.

Veja também